Educação como negócio! E agora?

“A educação é um direito humano fundamental e é essencial para o exercício de todos os direitos. Mesmo assim, existem ainda cerca de 781 milhões de analfabetos no mundo, e cerca de 58 milhões de crianças ainda se encontram fora da escola primária, e muitos jovens e mulheres e homens adultos continuam sem aprender o que precisam saber para dirigir suas vidas com saúde e dignidade.”   Unesco

Infelizmente, o panorama da educação no Brasil e no mundo não apresenta resultados satisfatórios em termos de universalização e qualidade do ensino. Esses dois pontos são, ainda hoje, um grande desafio para a nação global, especialmente para os países emergentes.

O Brasil acompanha esse resultado e ainda ocupa uma posição considerada baixa no PISA (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes), que mensura o desempenho dos estudantes em matemática, leitura e ciências, sendo o 63º colocado dentre 70 países.

E o problema é muito maior do que apenas isso, pois baixos níveis de educação em uma população trazem um impacto negativo em várias áreas: falta de profissionais qualificados no mercado, jovens com maior tendência a partir para o mundo do crime, menor crescimento e desenvolvimento econômico, e até problemas de saúde pública, causados pela falta de conhecimento da população sobre prevenção, detecção e prevenção de doenças (como DSTs, por exemplo).

Mas essa situação pode ser vista como uma oportunidade para empreendedores do país que decidam apostar no setor de educação privada. Segundo Beatriz Amary, diretora da gestora britânica Actis¹:

“É um segmento que ainda tem muito crescimento orgânico para acontecer. Eu acredito que crescimento orgânico ainda existe, ganhando participação de mercado. E você está investindo também em capital humano, no futuro do país.”

Esse é um setor que vem apresentando amplo crescimento no Brasil: há uma efervescência de instituições privadas de ensino básico – o país teve um aumento de cerca de 744 escolas privadas de ensino básico de 2015 para 2016, segundo dados do Inep².

Outros modelos de negócio, como cursinhos que oferecem aulas com finalidades específicas (como aprovação em vestibulares e concursos) ou serviços de acompanhamento e reforço escolar, também vêm ganhando espaço no mercado à medida que as pessoas se tornam mais conscientes da importância da educação na construção de um futuro melhor.

Ao mesmo tempo, vêm surgindo neste mercado várias tendências que visam agregar valor para o cliente e melhorar a experiência com a educação. A agregação de novas tecnologias no processo de educar, a construção de melhores ambientes e metodologias de ensino com base no design thinking, a quebra de paradigmas e a construção de um processo de educar mais inclusivo e planejado… Tudo isso aponta para um mercado em transformação que promete trazer muitas oportunidades de diferenciação e crescimento para aqueles que tomarem sua frente.

O grande desafio para aqueles que decidirem ingressar neste mercado ou ainda para aqueles que já estão nele, mas que desejam renovar sua imagem e alcançar um market share maior, é conseguir compreender o que seu público-alvo deseja e como atraí-lo, a fim de evitar investimentos que não venham a dar resultados. Além disso, também é necessário delimitar a forma de tornar isso viável através de um planejamento estratégico e da estruturação planejada da empresa, em termos financeiros, de processos e de pessoal.

Certamente, essa é uma missão digna que promete resultados não apenas financeiros, mas diretamente ligados à construção de um mundo melhor.

“Educação não muda o mundo. Educação transforma pessoas. Pessoas mudam o mundo.”  Paulo Freire

Slide1

Escrito por: Ana Luísa Monclair

Consultora – AD&M Consultoria Empresarial

FONTES:

  1. BRASIL, Inep. Censo Escolar, 2016. Disponível em:

<http://download.inep.gov.br/educacao_basica/censo_escolar/apresentacao/2017/apresentacao_censo_escolar_da_educacao_basica_%202016.pdf>. Acesso em 14 de março de 2018.

  1. CALDAS, Edson. Apostar em educação no Brasil vale a pena para os investidores?. 2017. Disponível em:

<https://epocanegocios.globo.com/Dinheiro/noticia/2017/06/apostar-em-educacao-no-brasil-vale-pena-para-os-investidores.html>. Acesso em 14 de março de 2018.

Deixe uma resposta