Indicadores Financeiros: veja os principais que você deve analisar!

  • Qual é a percentagem de lucro que tenho com minhas vendas?
  • Consigo pagar minhas dívidas?
  • Qual é meu endividamento?
  • Consigo arcar com os juros dos empréstimos que pedi?
  • O investimento da minha empresa em estoques está trazendo retorno?

Entendendo a importância dos indicadores financeiros

Estas perguntas podem ser respondidas por meio da mensuração e análise de indicadores financeiros. 

Mais da metade das empresas em operação no Brasil estão inadimplentes e com o CNPJ negativado (SERASA EXPERIAN, 2017). Isso quer dizer que 3 a cada 5 empresas brasileiras não conseguem arcar com suas obrigações financeiras.

Corroborando com essa informação, o SEBRAE (2016) realizou uma pesquisa apontando que a probabilidade de fechamento de uma empresa é maior entre os empresários que não planejaram adequadamente a abertura do negócio, não conseguiram negociar com fornecedores, não faziam o acompanhamento rigoroso de receitas e despesas e não investiam na sua própria capacitação e na capacitação de seus funcionários.

Deste modo, é importante salientar que uma análise financeira adequada se faz necessária para todas as empresas e, atrelado a ela, a análise de indicadores financeiros alinhados a realidade da organização. Estas análises servem principalmente para auxiliar na tomada de decisão do gestor, através do acompanhamento dos resultados financeiros, metas estabelecidas e saúde financeira da empresa. 

Os indicadores financeiros são utilizados para medir, coletar e gerar informações sobre a situação econômica, financeira e patrimonial de uma empresa. A análise através de indicadores relaciona itens das demonstrações financeiras. Os valores gerados podem ser comparados com resultados de empresas de mesmo segmento ou histórico da empresa.

O primeiro passo para a utilização de indicadores financeiros é uma padronização dos demonstrativos contábeis e financeiros, como o balanço patrimonial, demonstração de resultado do exercício (DRE) e demonstração de fluxo de caixa. A partir dessa padronização é possível escolher quais indicadores financeiros fazem sentido para sua empresa.

A fim de facilitar o entendimento de cada um dos indicadores financeiros deste texto, eles serão calculados com base nas demonstrações financeiras da Natura Cosméticos S.A., como mostrado abaixo. 

Neste caso, os demonstrativos utilizados são referentes ao ano de 2016, então o resultado dos indicadores financeiros seria o geral do ano. No entanto, eles podem ser calculados em outras periodicidades, a depender das necessidades do negócio, para que se tenha um acompanhamento contínuo da realidade da empresa e com isso, seja possível traçar planos de ação.


Indicador de Liquidez Corrente

Este indicador busca avaliar a capacidade da empresa em liquidar suas obrigações de curto prazo. Ou  seja, se a empresa consegue pagar suas dívidas de curto prazo (fornecedores, empréstimos de curto prazo, contas a pagar) com a venda de seu estoque, valores a receber e valor em caixa.

Para o cálculo deste indicador precisamos de informações do Balanço Patrimonial, conforme mostrado abaixo.

Em outras palavras, a liquidez corrente indica o quanto existe de ativo circulante para cada 1 real de passivo circulante. Ou seja,

EXEMPLO: No caso da empresa Natura seria:

Sendo assim, a Natura possui um capital circulante líquido positivo, desta forma, consegue cumprir com suas obrigações de curto prazo, não sendo necessário traçar nenhum plano de ação para contornar a situação.

Indicador de Participação de Capitais de Terceiros

Esse indicador mostra qual a proporção existente entre capitais de terceiros e capitais próprios da empresa, isto é, quanto a empresa utiliza de capital de terceiros para cada 1 real de capital próprio investido.

As informações para o cálculo deste indicador são obtidas no Balanço Patrimonial da empresa, conforme a fórmula abaixo.

Quanto menor for a participação de capitais de terceiros na empresa, menor será o grau de endividamento. Com isso, maior será a liberdade financeira para tomar decisões. 

Caso a empresa tenha um alto índice de endividamento, ou seja, possuir empréstimos gerados para financiar o desenvolvimento da empresa, alto número de contas a pagar, entre outros, é provável que uma parcela maior dos lucros seja destinada a pagar essa dívida.

É de suma importância que o gestor saiba gerenciar bem os recursos de terceiros. Aplicando esses recursos, é possível obter lucros que superem os juros e outros encargos que remuneram esses capitais.

Para analisar este indicador de modo mais embasado, é preciso compará-lo com padrões, como por exemplo, empresas de mesmo porte ou do mesmo ramo de atividade. Visto que, mesmo com um elevado grau de endividamento, a empresa poderá estar em situação de normalidade com empresas similares.

EXEMPLO: No caso da empresa Natura seria:

A princípio este resultado pode parecer alto, no entanto, é preciso comparar com outras empresas de capital aberto e, se possível, do mesmo setor.

Desta forma, reforça-se a importância de comparar o resultado dos indicadores financeiros com outras empresas, pelo menos duas, para que seja possível ter uma noção da realidade da empresa. 

Indicador de Cobertura de Juros

Este indicador expressa o número de vezes em que os resultados operacionais da empresa cobrem as despesas financeiras. As Despesas Financeiras representam os juros que a empresa deve pagar aos seus credores devido a empréstimos contraídos.

Para o cálculo deste indicador precisamos de informações das Demonstrações de Resultado (DRE), conforme mostrado abaixo.

Em outros termos, este indicador também mede quantas vezes o lucro da empresa pode diminuir sem afetar a remuneração dos recursos de terceiros. Com isso, quanto maior for o resultado do indicador, maior a confiança da empresa perante seus credores. 

O Indicador de Cobertura de Juros deve ser calculado, principalmente, se a empresa tiver um alto grau de endividamento, ou seja, se o Indicador de Participação de Capitais de Terceiros for alto. Desta forma, é de suma importância saber se a empresa consegue arcar com essa dívida.

É importante destacar que este indicador relaciona apenas as despesas financeiras ao lucro operacional e que uma empresa também possui outras obrigações a cumprir (despesas com vendas e despesas administrativas). 

EXEMPLO: No caso da empresa Natura, não há o detalhamento em seu balanço patrimonial das despesas financeiras com juros de empréstimos, logo, não é possível calcular este exemplo.

Margem Líquida ou Lucratividade

O Indicador de Lucratividade busca verificar a margem de Lucro da empresa em relação às vendas. Em outras palavras, é o percentual restante para a empresa, após a redução de todos os custos e despesas (impostos, custo de mercadoria, salário dos funcionários, pró labore, empréstimos, entre outros).

Desta forma, é preciso conhecer todos os custos e despesas da sua empresa e saber definir o preço do seu produto ou serviço, visto que ele influencia diretamente no lucro. Para ajudar você e sua empresa, confira: Custos e preços de um serviço: como definir?

As informações para o cálculo deste indicador são obtidas na Demonstração de resultado (DRE) da empresa, conforme mostrado abaixo.

O indicador representa quantos reais a empresa traz de retorno para cada 100 reais vendidos. Caso a Margem Líquida seja de 16%,  significa que para cada 100 reais vendidos, sobra para a empresa 16 reais. Também pode ser interpretado que 84% da Receita de Vendas da empresa foi utilizada para cobrir seus custos e despesas.

Como pode ser percebido, quanto maior o resultado do indicador, melhor. No entanto, é importante salientar que, assim como o indicador de participação de capitais de terceiros, o resultado deve ser comparado com empresas de mesmo setor, visto que, algumas, naturalmente, possuem margens menores e outras, maiores.

EXEMPLO: No caso da empresa Natura seria:

A cada 100 reais que a Natura vende, ela lucra R$3,90, desse modo, 96,1% da Receita da empresa é utilizada para cobrir seus gastos.

Giro do Ativo

Este indicador demonstra se o faturamento gerado no período foi suficiente para cobrir o investimento total. Sendo assim, demonstra quantas vezes o ativo girou como resultado ou efeito das vendas, ou quanto a organização vendeu para cada 1 real investido em ativo. É relevante lembrar que uma das principais contas do ativo, costuma ser o estoque.

Conforme mostra a fórmula, para o cálculo deste indicador precisamos de informações das Demonstrações de Resultado (DRE) e do Balanço Patrimonial.

Considerando que esse indicador mede o volume das vendas em relação ao Capital Total investido. É importante saber que o volume de vendas ideal para cada empresa é o que permite a obtenção de lucratividade suficiente para cobrir todos os gastos, oferecendo ainda boa margem de Lucro. 

Os gastos efetuados pelas empresas variam de acordo com seu ramo de atividade, assim como o volume de vendas ideal. Sendo assim é preciso considerar o setor da empresa para analisar o resultado deste indicador.

Vale ressaltar que esse indicador é de extrema importância, pois as empresas investem em capitais esperando um bom retorno que, normalmente, começa a surgir a partir do bom desempenho da área comercial. Deste modo, é imprescindível verificar se o que está sendo investido está sendo transformado em vendas. 

EXEMPLO: No caso da empresa Natura seria:

A cada 100 reais que a Natura vende, ela lucra R$3,90, desse modo, 96,1% da Receita da empresa é utilizada para cobrir seus gastos. Assim como os demais indicadores financeiros, é preciso comparar este resultado para saber se é um resultado bom ou ruim.

A melhor forma de consolidar esses indicadores é através da ferramenta Excel que facilita o cálculo. Algumas empresas vão além e utilizam o VBA que é a linguagem de programação do Excel que é mais simplificada e intuitiva que outras linguagens e permite uma maior simplificação e automação no uso dos indicadores. Confira outros motivos para começar a utilizar o VBA na sua empresa. 

Além desses indicadores financeiros, existem muitos outros capazes de demonstrar o desempenho da sua empresa, no entanto, apenas os indicadores citados acima proporcionam uma noção clara dos resultados, desde que sejam analisados detalhadamente. Demonstrando sua liquidez, endividamento, cobertura de juros, retorno financeiro e retorno sobre investimento em ativos. A essa altura do texto, você já consegue responder todas as perguntas que o trouxeram até aqui, como pode ser visto abaixo. 

Qual é a percentagem de lucro que tenho com minhas vendas? Calculando a MARGEM LÍQUIDA que relaciona o lucro a receita líquida de vendas é possível obter esse resultado. 

Consigo pagar minhas dívidas? Com o indicador de LIQUIDEZ CORRENTE é possível saber a capacidade da sua empresa em liquidar suas obrigações de curto prazo, sendo assim, caso o resultado desse indicador financeiro seja igual ou maior a 1, sua empresa consegue pagar as dívidas.

Qual é meu endividamento? Por meio do indicador de PARTICIPAÇÃO DE CAPITAIS DE TERCEIROS você fica sabendo quanto sua empresa utiliza de capital de terceiros para cada 1 real de capital próprio investido, desta forma, quanto menor for a participação de capitais de terceiros na empresa, menor será seu grau de endividamento.

Consigo arcar com os juros dos empréstimos que pedi? Calculando o INDICADOR DE COBERTURA DE JUROS é possível saber se o lucro da sua empresa cobre os juros dos empréstimos feitos. Sendo assim, quanto maior for o resultado do indicador, melhor a confiança da empresa, frente seus credores.

O investimento da minha empresa em estoques está trazendo retorno? Com o indicador de GIRO DO ATIVO você descobre quanto a sua empresa vendeu, ou seja, teve de retorno, para cada 1 real investido em ativo.

REFERÊNCIAS

Sobrevivência das empresas. DATA SEBRAE. Disponível em: https://datasebrae.com.br/sobrevivencia-das-empresas/#causas

Empresas com nome sujo. G1 GLOBO. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/noticia/empresas-com-nome-sujo-chegam-a-49-milhoes-aponta-serasa.ghtml

GITMAN, L.J. Princípios de Administração Financeira Essencial. 2 ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

MORANTE, Antonio Salvador; JORGE, Fauzi Timaco. Controladoria: análise financeira, planejamento e controle orçamentário. São Paulo. Atlas, 2008

MARION, José Carlos; RIBEIRO, Osni Moura. Introdução à contabilidade gerencial. 3. ed. São Paulo. Saraiva. 2018

Demonstrações Financeiras Natura. Natura. Disponível em: https://natu.infoinvest.com.br/ptb/5907/Demonstraes%20financeiras%204T16%20-%20Portugus%20com%20ata.pdf

ASSAF NETO, Alexandre. Estrutura e análise de balanços: um enfoque econômico financeiro. 7 ed. São Paulo. Atlas. 2002.

SÁ, Carlos Alexandre. Fluxo de Caixa: a visão da tesouraria e da controladoria. 4 ed. São Paulo. Atlas. 2012.

LIMEIRA, André Luís Fernandes; SILVA, Carlos Alberto dos Santos Silva. 7 ed. Rio de Janeiro. Editora FGV. 2006

E se você quiser saber mais sobre como explorar esse tema, pode ler o seguinte artigo:

Custos e preços de um serviço: como definir? Como definir o preço de um serviço olhando para seus custos em 6 passos, de acordo com Kotler e Keller.

Gostaria de um diagnóstico GRÁTIS realizado por analistas que tem experiência em aplicá-los para dezenas de empresas? Entre em contato conosco!

Quero conversar com um especialista!

Texto por: Lara Machado, Coordenadora de Finanças na AD&M.